ÁREA DO CLIENTE

Consulte o andamento do seu processo

NOTÍCIAS

Newsletter

Endereço

Avenida Princesa Isabel , 15 , Conj. 1710/1712
Centro
CEP: 29010-361
Vitória / ES
+55 (27) 32223106+55 (27) 30267037

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,10 5,10
EURO 5,54 5,54

Previsão do tempo

Hoje - Belo Horizonte,...

Máx
34ºC
Min
21ºC
Parcialmente Nublado

Domingo - Belo Horizon...

Máx
34ºC
Min
22ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Belo H...

Máx
32ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
35ºC
Min
27ºC
Parcialmente Nublado

Domingo - Rio de Janei...

Máx
34ºC
Min
27ºC
Chuva

Segunda-feira - Rio de...

Máx
32ºC
Min
26ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Guarapari, ES

Máx
34ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Domingo - Guarapari, E...

Máx
34ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Guarap...

Máx
35ºC
Min
25ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Vitória, ES

Máx
34ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Domingo - Vitória, ES

Máx
35ºC
Min
25ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Vitór...

Máx
35ºC
Min
25ºC
Parcialmente Nublado

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

DECISÃO: Ex-funcionária do Conselho Regional de Farmácia garante direito de receber seguro-desemprego

A Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) manteve a sentença que reconheceu o direito de uma funcionária que manteve vínculo com o Conselho Regional de Farmácia do Mato Grosso (CRF/MT) e foi demitida sem justa causa receber as parcelas referentes ao seguro-desemprego. O benefício havia sido negado administrativamente pela Superintendência do Ministério do Trabalho e Previdência do Estado do Mato Grosso sob a alegação de que a autora seria servidora estatutária. Ao analisar o recurso da União, o relator, desembargador federal João Luiz de Sousa, destacou que a sentença do Juízo da 2ª Vara Federal da Seção Judiciária de Mato Grosso deve ser mantida. “Na hipótese, a dispensa da impetrante deu-se por iniciativa do empregador e sem justa causa, e ela manteve vínculo empregatício com o Conselho Regional de Farmácia do Mato Grosso, não percebia, à época, nenhum benefício previdenciário”, explicou o magistrado. O desembargador ressaltou, ainda, que o fato de a trabalhadora de ter figurado nos quadros de uma autarquia, Conselho Regional de Farmácia do Mato Grosso, não pode constituir óbice à concessão do benefício de seguro-desemprego, uma vez que na documentação contida nos autos a autora foi contratada sob o regime celetista, com a devida anotação do vínculo em sua Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). A decisão do Colegiado foi unânime acompanhando o voto do relator. Processo: 1000421-13.2016.4.01.3600 Data do julgamento: 16/03/2022 Data da publicação: 25/03/2022 LC Assessoria de Comunicação Social Tribunal Regional Federal da 1ª Região  
02/12/2022 (00:00)
Visitas no site:  2285706
© 2023 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia