ÁREA DO CLIENTE

Consulte o andamento do seu processo

NOTÍCIAS

Newsletter

Endereço

Avenida Princesa Isabel , 15 , Conj. 1710/1712
Centro
CEP: 29010-361
Vitória / ES
+55 (27) 32223106+55 (27) 30267037

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,30 5,30
EURO 5,53 5,53

Previsão do tempo

Hoje - Belo Horizonte,...

Máx
24ºC
Min
13ºC
Predomínio de

Quarta-feira - Belo Ho...

Máx
24ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Quinta-feira - Belo Ho...

Máx
24ºC
Min
12ºC
Predomínio de

Hoje - São Paulo, SP

Máx
25ºC
Min
14ºC
Predomínio de

Quarta-feira - São Pa...

Máx
25ºC
Min
15ºC
Predomínio de

Quinta-feira - São Pa...

Máx
21ºC
Min
13ºC
Predomínio de

Hoje - Rio de Janeiro,...

Máx
25ºC
Min
19ºC
Predomínio de

Quarta-feira - Rio de ...

Máx
25ºC
Min
19ºC
Predomínio de

Quinta-feira - Rio de ...

Máx
27ºC
Min
20ºC
Predomínio de

Hoje - Guarapari, ES

Máx
27ºC
Min
18ºC
Predomínio de

Quarta-feira - Guarapa...

Máx
28ºC
Min
17ºC
Predomínio de

Quinta-feira - Guarapa...

Máx
29ºC
Min
17ºC
Predomínio de

Hoje - Vitória, ES

Máx
28ºC
Min
21ºC
Predomínio de

Quarta-feira - Vitóri...

Máx
27ºC
Min
20ºC
Predomínio de

Quinta-feira - Vitóri...

Máx
28ºC
Min
20ºC
Predomínio de

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .

Município é condenado a reparar estudante que vivenciou situação vexatória em escola

Segundo a sentença, o requerido foi omisso quanto à situação. Uma aluna que passou por constrangimentos após sentir dores abdominais e defecar em sala de aula deve ser indenizada por um Município do sul do estado. O processo tramitou no Juizado Especial Cível, Criminal e da Fazenda Pública da Comarca. A autora relatou que participava de uma aula, quando começou a passar mal do intestino e pediu à professora para ir ao banheiro, o que foi autorizado. Contudo, quando retornou, continuou a se sentir mal, mas a educadora negou que ela retornasse ao toalete. A requerente contou que, então, não conseguiu suportar a dor, vindo a defecar na calça, tendo os colegas começado a questionar o cheiro ruim. Em sua defesa, o requerido argumentou que o acidente não ocorreu por culpa do Município, bem como a estudante não teria informado à professora que estava se sentindo mal, apenas pedido para ir ao banheiro. Entretanto, segundo a sentença, o requerido foi omisso quanto à situação vivida pela autora, “uma vez que a professora tinha o dever de indagar ou procurar saber o que se passava com a requerente que almeja ir ao banheiro novamente. Ademais, mesmo após o sinistro, a professora e demais funcionários do colégio não deram assistência para a autora e nem minimizaram a situação vexatória por ela vivenciada, pois acabou passando mal perante os colegas de classe, como relatado no depoimento colhido na audiência de instrução”. Assim sendo, ao levar em consideração o artigo 227 da Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente, o juiz entendeu que a conduta dos agentes do Município foi omissa, visto que não evitaram a situação vexatória vivenciada pela aluna nem a minimizaram, razão pela qual fixou a indenização por danos morais em R$ 8 mil. Vitória, 06 de maio de 2022   Informações à Imprensa Assessoria de Imprensa e Comunicação Social do TJES Texto: Elza Silva | Maira Ferreira Assessora de Comunicação do TJES www.tjes.jus.br
18/05/2022 (00:00)
Visitas no site:  1885434
© 2022 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia